Silvio Santos

Dia 12 de dezembro de 1930, nascia Senor Abravanel – o futuro Silvio Santos. Filho de pai grego e mãe turca, Silvio nasceu no boêmio bairro da Lapa, região central do Rio de Janeiro. Seus pais Alberto e Rebeca, Senor tinha cinco irmãos: Beatriz, Perla, Sara, Léo e Henrique.

Durante a infância, uma das maiores diversões de Silvio era ir ao cinema com o seu irmão Léo, seu irmão mais novo. Os cinemas favoritos da dupla ficavam na Cinelândia, no Rio, e eles sempre tentavam entrar nas sessões dos filmes sem pagar. Em um certo dia da década de 40, Silvio acordou gripado e com um pouco de febre, Rebeca, sua mãe, proibiu que ele e seu irmão fossem ao cinema naquela ocasião. Ele ficou bravo, chorou e pediu para que sua mãe mudasse de ideia. Ela não se convenceu e os irmãos ficaram em casa. No dia seguinte, Silvio descobriu que o cinema tinha pegado fogo e várias crianças tinham ficado feridas.
Foi durante as eleições de 1946 que Silvio teve a ideia de vender capas para títulos de eleitor nas ruas do Rio de Janeiro. Um dia, quando ele andava pela avenida Rio Branco, no centro da cidade, o jovem observou um homem que vendia com facilidade umas capinhas de plástico. Silvio descobriu o local em que o vendedor reabastecia seu estoque de produtos e percebeu que ele obtinha lucro com isso. Silvio comprou uma carteirinha e revendeu dizendo que era a última. Depois, ele foi comprando outras e continuou usando a mesma tática de dizer que não havia mais no estoque. Foi essa a primeira vez que Silvio trabalhou como camelô nas ruas do Rio de Janeiro, mas, mesmo assim, ele não deixou de frequentar a escola e se formou em contabilidade. Além dos porta-títulos, ele também vendeu canetas. Foi nessa época, que Silvio começou a mostrar seu dom para a comunicação. Ele aprendeu a manipular moedas para chamar a atenção das pessoas. Para fugir dos guardas, Silvio trabalhava apenas no horário de almoço e contava sempre com a ajuda de Léo, seu irmão, para saber da chegada do “rapa”.
Certa vez, o diretor da fiscalização da prefeitura tentou impedir que Silvio continuasse exercendo a profissão, mas, ao perceber que o garoto era estudante e falava bem, ele resolveu levá-lo até uma rádio. Silvio passou em um concurso para locutores e exerceu pela primeira vez uma atividade artística, mas como o salário não era bom, ele desistiu do emprego e voltou a ser camelô.
Aos 18 anos, em 1948, Silvio precisou dar uma pausa na vida de camelô para se dedicar ao exército. Ele serviu a escola de Paraquedistas e chegou a dar alguns saltos considerados bons. Silvio tinha folga aos domingos e usava para trabalhar de graça em uma rádio no Rio de Janeiro. Depois que saiu do exército, ele voltou a trabalhar nas ruas e continuou por um tempo como locutor em algumas emissoras de rádio.

Algum tempo depois e após passar por emissoras de rádio, Silvio começou a trabalhar como locutor em uma rádio de Niterói. Para voltar ao Rio de Janeiro, ele utilizava a barca que liga a cidade à capital do estado. Em uma dessas viagens, ele teve a ideia de colocar música na barca. Pediu demissão da rádio, pegou o dinheiro e comprou o necessário para realizar a novidade.
Silvio passou a ser corretor de anúncios para esse alto-falante. Depois disso, surgiu a ideia de criar um bar na barca que ia para Paquetá e também um bingo. Silvio tornou-se o animador nos jogos durante a viagem.

Em 1950, Silvio chegou a São Paulo em um passeio com o diretor da Antarctica. Ele ficou hospedado em um hotel no centro da cidade. Um dia, enquanto estava em um bar no famoso cruzamento entre as avenidas São João e Ipiranga, Silvio Santos encontrou um locutor de uma rádio que havia trabalhado com ele no Rio. O amigo disse que estavam fazendo testes para locutor. Silvio disse que não ia tentar, mas que participaria de um programa de calouros na rádio. Quando chegou lá, ele não pôde se inscrever porque já havia trabalhado como profissional. Por isso, ele acabou fazendo o teste para locutor e foi aprovado. Este foi o primeiro trabalho do apresentador em São Paulo.

Foi em 1954 que Silvio Santos assinou seu primeiro contrato como locutor da Rádio Nacional em São Paulo. Como seu salário na rádio não era suficiente, Silvio teve que achar outras formas para ganhar dinheiro, então ele criou uma revista chamada “Brincadeiras para Você” com palavras cruzadas, charadas e passatempos, que vendia nos comércios. Além disso, ele se empenhou na profissão de corretor de anúncios e fez shows em circos como animador em suas caravanas. Foi aí que ele ficou conhecido como o “Peru que fala”, pela fama de ficar vermelho sempre que se envergonhava.
Em 1958, Manoel de Nóbrega estava vivendo uma situação complicada no Baú da Felicidade. Ele pediu para Silvio Santos ajudá-lo ficando na sede da empresa. A situação foi estabilizada, Manoel percebeu o empenho de Silvio e deu o Baú da Felicidade de presente para o amigo.
Era 1959, nesse ano, Silvio Santos registrou o Baú da Felicidade.. Para promover o Baú, Silvio fazia shows no circo e aproveitava para vender os carnês, dessa forma a empresa ficou conhecida em todos os bairros de São Paulo. O Baú foi crescendo, junto com ele suas propostas e mercadorias, até se tornar a potência que é hoje.
Em 1961, Silvio Santos iniciou sua carreira na televisão. O primeiro programa apresentado por ele foi na TV Paulista e se chamava “Vamos Brincar de Forca”. Com o sucesso da atração, Silvio decidiu estrear um programa aos domingos. Ele comprou as duas primeiras horas da programação da TV Paulista (Globo), canal 5, a partir do meio-dia e as transformou na melhor vitrine que o Baú poderia ter. Nascia aí o Programa Silvio Santos, que em pouco tempo se tornaria famoso em todo o país.

Em 1976, Silvio Santos realiza o sonho de ter uma emissora própria em 14 de maio, com a entrada no ar do canal Studio Silvio Santos Cinema e Televisão Ltda., ou simplesmente TVS.

Enfrentou um dos momentos mais difíceis de sua vida no final de 1987. Um sério problema em suas cordas vocais deixou o apresentador rouco. Silvio viajou para os Estados Unidos, onde fez diversos exames. No começo do ano seguinte, após algumas semanas afastado da televisão, Silvio voltou em um programa especial. No “Show de Calouros”, jurados, pessoas do auditório e telespectadores entrevistaram o apresentador. Todos ficaram emocionados durante as três horas de programa.

No início de 1988, foi convidado a se candidatar à prefeitura de São Paulo, mas acabou não aceitando. No ano seguinte, o apresentador recebeu um outro convite político, dessa vez para tentar a eleição à presidência da República, mas a inexistência legal do partido e o exercício patronal dentro de uma rede de televisão o impediram de se candidatar. Em 1990, foi a vez de convidarem Silvio para se candidatar ao governo do estado de São Paulo, mas o apresentador desistiu.

Em diversas pesquisas com intenção de votos, Silvio Santos aparecia na frente de todos os outros possíveis candidatos.

No começo do ano de 1989, após um período nos Estados Unidos, Silvio voltou ao Brasil com a esperança de que iria curar com o descanso seu edema na corda vocal. Entretanto, ao consultar um médico, ele ficou sabendo que seria necessário fazer uma cirurgia. O uso excessivo da voz e uma irritação alérgica podem ter sido os causadores do problema. Silvio fez a cirurgia em São Paulo. Dois dias depois, ele recebeu alguns jornalistas no quarto do hospital e mostrou que estava se recuperando.

Em 2009, As seis filhas de Silvio Santos, Cíntia, Silvia, Daniela, Patrícia, Rebeca e Renata, estão envolvidas em algum setor do Grupo Silvio Santos. Com atenção e dedicação, Silvio instruiu cada uma delas para que possam dar continuidade aos negócios. Um orgulho para o pai.

No dia 12 de dezembro de 2010, Silvio Santos completou 80 anos de vida.
E permanece na ativa, mas só na TV.

Em 2015, Silvio Santos completou 85 anos. Com uma carreira sempre em ascensão, o apresentador continua à frente do Programa Silvio Santos e do Roda a Roda Jequiti. Desde o início do ano, o seu programa é exibido em HD.

 

Fonte: http://www.sbt.com.br/silviosantos/