Mário Luiz Barbato

Mário Luiz Barbato (Rio de Janeiro 11 de julho de 1925 – Rio de Janeiro, 27 de abril de 2009) comandou programas de rádio, criando um estilo de comunicação seguido até os dias atuais. Foi diretor de programação do Sistema Globo de Rádio, suscedeu aos irmãos Raul e Luis Brunini na direção-geral da Sistema Globo de Rádio, a partir dos anos 70, quando iniciou as mudanças que a tornaram padrão de sucesso por quase três décadas.
Foi Diretor Geral do SGR também, cargo que acumulou por alguns anos.
O Início
Foi na Rádio Mauá que teve sua primeira chance aos 22 anos. Orlando gostou da sua voz e o deixou ler a Resenha do programa.
A Rádio Globo ficava na Avenida Rio Branco, no Edifício Sul-Rio-Grandense e Mário Luiz de manhã bem cedo, ajudava na produção do programa de Ginástica ao vivo. Eram os anos 50 e Mário Luiz ganhou a oportunidade de trabalhar com o locutor Reinaldo Dias Lemes num programa de informação onde os dois liam notícias, até o dia em que o experiente Reinaldo tropeçou no texto, se engasgou e riu com um nome japonês. Resultado? Injustamente, Mário Luiz foi demitido.
O diretor artístico da época e homem de confiança do Dr. Roberto Marinho, Henrique Tavares, informado que a risada no programa não era de Mário Luiz e sim do outro locutor e corrigiu o erro. Recontratado, ganhou o programa e passou a vender patrocínios. Mário Luiz, ainda muito novo, já sonhava com o horário nobre, a programação noturna da Rádio e a chance veio quando Jonas Garret foi acusado de fazer jabá (cobrar de artistas para tocar música) no programa das 10 da noite, o Clube do Toca Disco, isso irritou profundamente Luis Brunini, o grande diretor da época. No Clube do Toca Disco Mário Luiz encontrou uma forma de prestigiar as gravadoras, conseguindo, inclusive bons patrocínios para a Rádio.
Chegaram os anos 60 e Mário Luiz, ao cobrir as férias de Maurício, organizou a casa e agradou geral.
Paralelamente a Rádio Globo, fez parte da primeira equipe da TV Globo Canal 4 do Rio de Janeiro e já no dia 1º de maio de 1965, Mário Luiz Barbato já estava na grade do final de semana com TeveFone, às 16 horas, junto de Luiz de Carvalho e Jonas Garret.
Mal começou e já foi mexendo com o maior nome da Rádio Globo na época, o Luiz de Carvalho (durante muitos anos um ficou brigado com o outro). Mais uma vez Mário Luiz foi afastado do cargo, para ser efetivado, com moral e autonomia a partir de 1966, por Luis Brunini.
Mário Luiz implantou na Rádio Globo, por sugestão do publicitário Miguel Gustavo que foi o autor do Hino da Seleção, o tripé Música, Esporte e Notícia. Começava ali uma época de ouro para Rádio Globo. O rádio teatro e de auditório perdia espaço para um novo jeito, uma nova visão, nova abordagem, comunicação coloquial, rádio diálogo e o comunicador amigo. Prestação de serviço, jornalismo forte e uma nova roupagem sonora. As vinhetas no estilo das americanas, algumas gravadas por eles e terminadas aqui.
Mário Luiz exigiu o noticiário de hora em hora como era feito na Rádio Nacional no Repórter Esso. Agora O Globo no Ar nas horas cheias e não se permitia atraso.
Pouco depois, O Repórter Esso migrou para a Rádio Globo e a Esso contratou Roberto Figueiredo como locutor oficial. Nessa época a Rádio Globo tinha entre os seus locutores noticiaristas profissionais como Arsênio Atas, Berto Filho, Carlos Noronha, Luciano Alves, Sérgio Moraes, Volney Silva, entre outras belas vozes. Entre os comunicadores: Luis de Carvalho, Mário Luiz, Roberto Muniz, Haroldo de Andrade (recém chegado), Paulo Moreno, Jonas Garret, Adelzon Alves (recém chegado do Paraná) e Paulo Diniz, o locutor de Recife que virou cantor de sucesso.
Luis de Carvalho é afastado por ordem do próprio Roberto Marinho, devido a um escândalo com menores (assunto que era notícia quase que diária no jornais).
Mário Luiz assumiu e efetivou Haroldo de Andrade das 9 ao meio-dia e ele mesmo passou a apresentar o Chá das 3, que ganhou por motivos de justiça um novo nome, agora era o Nosso Ch
Mudanças todas feitas por Mário Luiz: Luciano Alves acordava o Rio, Haroldo de Andrade brilhava de manhã e Adelzon Alves era definitivamente o Amigo da Madrugada. A Globo do Rio ainda tinha no timaço de Mário Luiz, Moacir Bastos com seu jeito caipira, Sidney Teixeira, o Cidinho em alta velocidade e Edmo Zarif como voz padrão.
Em 26 de Outubro de 1976 a Rádio Globo mudava de frequência e passava dos 1.180 para 1220, canal livre internacional e assim a Rádio Globo alcança o Brasil inteiro a partir das 5 da tarde. A Rádio feita por Mário Luiz era poderosa e a audiência indiscutível.
Padrão de voz e de qualidade dos profissionais, vinhetas geniais, noticiaristas fabulosos como: Guilherme de Sousa, Izaac Zaltman, Luiz de França, José Lino, Carlos Bianchini, Dirceu Rabelo, Oduvaldo Silva, Léo Batista, Reinaldo Costa e outros. Depois vieram Gilberto Lima, Antonio Leal e o próprio Zarife virando comunicador.
Final dos anos 70 início do 80, cresce mais e mais o poder de Mário Luiz no SGR, respeitado, conhecido e consagrado, Mário é chamado para salvar uma das empresas do Dr. Roberto Marinho. A Mundial 860 e quem conhece essa história pode dizer o quanto, o homem que inventou o Rádio moderno era mesmo um Gênio. A Super Jovem Mundial foi a grande escola dos Fms, linguagem ousada e inovadora. Um sucesso extraordinário!

Em 1989 recebeu o título de Benemérito do Estado do Rio de Janeiro:

“Faço saber que, tendo em vista a aprovação na Sessão de 05 de abril de 1989 do Projeto de Resolução nº 305, de 1988, de autoria do Deputado Átila Nunes, a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro resolve, e eu, Presidente, promulgo a seguinte

RESOLUÇÃO Nº 302 DE 1989
CONCEDE O TÍTULO DE BENEMÉRITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO AO RADIALISTA MÁRIO LUIZ BARBATO”

No rastro da reorganização do Sistema Globo de Rádio (iniciada na verdade em 1985) Mário Luiz deixou Rádio Globo, em 1994.
O maior diretor de Rádio de todos os tempos ainda arriscou continuar na Rádio Tupi do Rio ao lado do amigo Alfredo Raimundo, com ele tambem foi Guilherme de Sousa e outros.
Brilhou…brilhou sim na Tupi , mas porque era brilhante, pois na verdade sua paixão pela Rádio Globo não lhe permitiu continuar.
Aposentado, ganhava prêmios e reconhecimento por todos os lados.

Faleceu no dia 27/04/2009, aos 83 anos vítima de insuficiência respiratória.

6 thoughts on “Mário Luiz Barbato”

  1. Não entendo porque não há nenhum comentário da passagem do Mario Luiz pela TV Globo, aliás com muito sucesso no programa que ai ao ar todos os Sábados a tarde Era sem dúvidas a maior reunião de nomes famosos da época.
    O maior programa divulgador da Jovem Guarda aqui no Rio.

  2. Gostaria de saber por onde anda o sidney teixeira (cidinho), antigo locutor da rádio globo Rio de Janeiro. Ele que apresentava o “Cidinho em Alta Velocidade”. Obrigado

  3. Fui por anos o produtor do quadro “Campeonato de Perguntas” que ele apresentava no seu programa “Pré-Parada Musical do Mario Luiz”. Tenho orgulho de ter trabalhado sob sua orientação e a seu lado por aproximadamente 8 anos seguidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *