Jorge Rebello

Ele hoje pode ser ouvido na Sulamérica Paradiso – Rio de 12 as 17h, nas chamadas do Cartoon Network e Warner Channel e em spots de Rádio e TV. Esse é nosso entrevistado “Jorge Rebello”.

RR: Qual seu percurso profissional?
JR: Iniciei na Rádio Del Rey FM, em 1981. Porém, antes disso, trabalhei uns 2 anos como locutor da Rádio Estácio, que era o sistema de auto-falantes do campus da Estácio, na época o único, onde estudava Jornalismo à noite.. Em 82 fui para os EUA estudar Engenharia de Áudio. Quando voltei, a Rádio Estácio FM (107,9 MHz) estava em montagem. Pedi um teste e entrei na primeira turma de locutores – Francisco Barbosa, Lincoln Loureiro, Carlos Antonio e Ricardo Voght eram meus colegas lá. O coordenador era o Sérgio Luiz Drodowsky – aprendi muito com ele.
Em 1986, insatisfeito com a falta de perspectiva na Estácio FM, fiz um teste para a 98 FM, que me levou direto para a rádio onde eu queria trabalhar, a Globo FM 92,5 MHz. Lá, entrei locutor, fui programador e coordenador. Saí em 1990 e fui trabalhar em gravadoras (primeiro na Chorus depois na Warner). Em 1994, aluguei um estúdio e fiz um VHS me apresentando como locutor de publicidade. Fiz várias cópias e saí distribuindo nos estúdios listados nas Páginas Amarelas. Começou então a carreira de locutor independente que continua hoje.
Voltei ao rádio em 2003 pelas mãos do Ruy Jobim e do Marcos Libretti, para a Globo FM. Quando o SGR derrubou a GFM para fazer a CBN FM, fui dispensado. Meses depois fui para a Paradiso FM, nos mesmos 95,7 MHz da minha primeira rádio, a Del Rey. Hoje, continuo na SulAmérica-Paradiso de 12:00 às 17:00 h., faço chamadas no Warner Channel (desde 1996) e no Cartoon Network (desde 2001).

RR: Você sempre quis ser locutor ou existiam outras opções?
JR: Quase fui fotógrafo. Comecei a fotografar com 10 anos, estudei um bocado e trabalhei em jornal. Quase fui músico também. Estudei música e piano por 23 anos. Toco e fotografo até hoje, mas por amor. E ainda vou aprender a tocar guitarra direito, ah se vou…

RR: Existe alguém que motivou você a optar pela profissão de locutor ?
JR: Sim. Era seu admirador desde 1976, entrevistei-o para um trabalho de faculdade e tive o imenso privilégio de trabalhar com ele no SGR e na Warner Music. A ele devo muito do que sei na profissão. Tive o melhor orientador que alguém poderia ter, seu nome é Ivan Romero Scoralick.

RR: Qual um momento inesquecível da sua carreira?
JR: A volta à Globo FM em 2003, depois de 13 anos longe de rádio.

RR: Você tem algum arrependimento?
JR: Pra não dizer que não tenho, me arrependo de ter ficado afastado do rádio por 13 anos. Fiz muitos amigos no Chorus Estúdio, Warner Music, Warner Chappel (editora), adorei a experiência, conheci gente maravilhosa, mas rádio é rádio.

RR: Motivo de orgulho?
JR: Ter feito, dizem alguns, a melhor rádio AC (adulto contemporâneo) que já existiu no RJ – A Globo FM, entre 86 e 90, que foi a líder do segmento. Eu coordenava e tinha o amigo, camarada e irmão Carlos Augusto Correa de Mello (que hoje escreve para o Video-Show da TV Globo) ao meu lado na programação.

RR: Qual lugar do Rio você adora estar?
JR: Teresópolis… Vale ? É Rio, não é ?

RR: Atualmente no rádio carioca, quais comunicadores você admira?
JR: Gosto muito da sonoridade do Alexandre Tavares (JB-FM); adoro o trabalho do Francisco Barbosa na Tupi; o comunicador por excelência tem nome… e o nome é David Rangel (Manchete AM); uma das vozes que mais me agrada no FM é a do Mário Márcio; Fora do rádio, os dubladores Guilherme Briggs, Percy e os Márcios: Seixas e Simões – luminares absolutos; Nas chamadas de televisão, o grande Luciano Durso. Posso continuar, mas paro por aqui. O rádio carioca é um celeiro de talentos. E olha que eu nem falei nas meninas, não é Valéria (Marques), Adriana (Souza), Isabella (Saes) e Mônica (Lima) ?

RR: Conselho para quem quer “fazer rádio”.
JR: Faça por amor, senão não dá certo.

COMMENTS

  • marcello

    trabalahmos juntos nessa epoca eu com ricardo hall e murilo marola lembra…abraços sucesso…hj trabalho com eike batista…ogx

  • Luiz Antônio Pimentel Ribeiro

    Parabenizo Jorge Rebello pelo talento e grande profissionalismo. Eu e meus alunos que participaram de uma visita ao Sistema Globo de Rádio, jamais esqueceremos a atenção que nos foi dada e o incentivo à implementação de nosso projeto que era de uma rádio por sistema de alto-falantes numa escola municipal da baixada fluminense.
    Nosso abraço.

  • Ana Carla Custódio

    Eu particularmente adoro a voz do Jorge Rebello, o ouço todos os dias de 12:00 ás 17:00hs, sua voz representa para mim uma paz de espírito, tranquilidade, tudo de bom. Parabéns pelo talento sua comunicação é perfeita.

  • Mirna Marino Duarte

    Ele é ótimo e está “bem melhor” com o passar dos anos! rsrsr
    A Globo Fm era uma rádio maravilhosa, saudade!
    Sucesso ao Jorge!

  • Sou super fã de Jorge Rebello. Quando eu era aluno da Escola de Rádio, tive a oportunidade de ir na Rádio Sulaméricaparadiso, daí conheci o Jorge. Foi muito rápido, o horário dele já estava terminando. Foi legal. Grande profissional. Sucesso ao grande Jorge Rebello. Abraço pra toda a equipe do Rádio em Revista.

  • […] do rádio analógico para o digitalEntrevistasDavid RangelFrancisco BarbosaPaulo BetoIsabella SaesJorge RebelloViviany TenórioRafaela FerrazQuem fez históriaAbelardo Barbosa, ChacrinhaBig BoyEdgard […]

Leave a Comment