Demmy Morales


Ademir Laurindo de Morais ou Demmy Morales. Locutor da Rádio Jovem Pan Rio, Dj, um cara apaixonado por basquete e por tudo o que faz.

Como surgiu o nome Artístico “Demmy Morales”?
Ih… essa é uma longa historia!!! Rs. Ao longo dos anos, desde o meu começo (1985), os coordenadores e diretores sentiam uma necessidade de mudar meu nome pra se adequar as emissoras. Por ex: Na Rádio Costazul FM estreei como MIMI MARAVILHA. Quando fui pra Volta Redonda trabalhar na radio 88FM (que fazia parte do Sistema PC de Rádios) acharam melhor me chamar apenas MIMI. Chegando ao Rio de Janeiro em 1991 pra trabalhar na lendária RPC-FM, foi decidido que não pegaria bem continuar me chamando MIMI por já existir o MEME rsrs (querido amigo e DJ Marcelo Mansur). Na época fiquei muito chateado, afinal de contas não tinha poder sobre meu próprio nome na Rádio. Finalmente quando fui trabalhar na Rádio Transamérica de São Paulo resolvi mudar completamente meu nome e passei a me chamar de DEMMY CRAWFORD. Que mais tarde se tornou DEMMY MORALES porque meu nome original leva MORAIS.

Como você começou no rádio?
Comecei no Rádio, em 1985, através de um convite do meu amigo de escola e da turma de basquete – Fábio Yared, para um teste na rádio Costazul Fm em ANGRA DOS REIS. Fábio, viu um certo talento em mim para as ondas do FM…
Fiz o teste e passei a frequentar a rádio, ao mesmo tempo comecei a trabalhar como assistente de um dos DJs da emissora em eventos. E aos poucos fui incorporando aquela nova linguagem. Passei então a comandar a madrugada da emissora das 2h às 6hs da manhã, falando apenas a hora. Algumas semanas depois já falava a hora e anunciava música. Assim foi…

Qual o seu percurso profissional até chegar na Jovem Pan Rio?
Outra história muuuitoooo longa… Rs… Mas serei breve. Como disse, comecei na rádio Costazul em 1985. Sai pela primeira vez da cidade natal pra trabalhar em Varginha na rádio CLUB. Fiquei 6 meses em Varginha e voltei pra Angra pra a radio RIVIERA FM. Em 1990 ingressei no Sistema PC de rádio, tendo trabalhado na 88FM de Volta Redonda e na RPC do Rio. Em 1992 realizei um sonho antigo de adolescente, que era ser locutor da radio CIDADE FM. Em 1993 me mudei para São Paulo e tive a oportunidade de fazer parte do grupo da JOVEM PAN 2 (Matriz). A partir desse ponto minha carreira passou a ser de idas e vindas. Nesse meio tempo tive a oportunidade de trabalhar na TRANSAMÉRICA de São Paulo (Matriz), na rádio METROPOLITANA de São Paulo, 89 FM – a rádio rock de São Paulo, JOVEM PAN da época do Rio Sul (que virou MIX). Em caráter relâmpago, rsrs ainda fui locutor da rádio FM O DIA , nos primórdios da rádio Costa verde de Itaguaí, da Transamérica do Rio e BEAT98. Ultimamente estava exercendo minha profissão na rádio de origem Costazul FM, até receber o convite de ALEXANDRE HOVORUSKI pra inaugurar a JOVEM PAN RIO, ufffaaaaa!!!

Ser locutor sempre foi seu sonho? Ou existiam outras opções?
Nunca foi o meu! Na verdade não sabia o que ia fazer da vida. Deus pôs essa profissão no meu caminho.

Conte-nos um momento inesquecível da sua profissão.
Tive vários, mas o mais relevante foi ser o LOCUTOR OFICIAL do Rock In Rio 3 em 2001, pela Rádio Cidade.

O que você mais gosta depois do rádio?
Amo jogar basquete. Vai ser de uma tristeza muito grande quando eu não puder mais jogar.

Um ícone do rádio?
Difícil e injusto dizer apenas um. Posso enumerar aqueles que mais me fascinaram nessa profissão: Carlos Alberto, Jairo Roberto, Ruy Jobim, Paulo Beto, Adriana Riemer, Mônica Venerabile, Fernando Mansur, Emílio Surita e Zeca Marques.

Como você avalia o avanço das web rádio nos dias atuais?
Entendo, que o advento das rádios na internet só faz fortalecer a música e cultura em geral. Bom também, pelo fato de tirar a supremacia que outrora ficava em mãos de poucos.

Você acha que em um futuro, não muito distante, as rádios convencionais que temos hoje ainda vão existir diante desse avanço tecnológico?
Sim! Como mencionei, as rádios de web e outros meios que possam surgir, só favorecem a avidez do mercado. Assim como a televisão não acabou com o cinema, por exemplo, as rádios convencionais não irão desaparecer, apenas terão que se reinventar para atender a essa nova demanda.

Quem teve o maior impacto na sua carreira?
Serei sucinto: Fabio Yared, Renato Justino, Eduardo Andrews, Alexandre Hororuski.

Quem é Demmy Morales?
Sou uma pessoa que busca o progresso a todo instante tendo como base a humildade. Humildade é uma coisa que eu acredito que nunca devemos deixar de lado.
Mas tem um lado que não gosto muito em mim, a impulsionalidade. Já perdi muitos empregos e muitas mulheres por conta disso.

O que você poderia dizer para aquela pessoa que sonha em entrar para o rádio?
Você pode não ficar rico, mas certamente será uma pessoa bem remunerada se conseguir fazer valer o seu talento, com muito afinco, estudo e honestidade.

Entrevista realizada por Michelle Bittencourt

COMMENTS

  • André Luis

    Cara, Demmy, foi o cara que eu conheci assim q comecei como dj. Trabalhamos juntos por alguns bons anos (Laser, Comando geral, Riviera, Master TV e outros.) Digo pra ele que se não fosse el, eu hj não seria nada, pois ele me ensinou muita coisa nessa área. Obrigado Demmy e continue sempre assim, sendo esse cara humilde e amigo. Vc merece todo o sucesso na sua vida. Um grande abraço e que DEUS esteja sempre iluminando seu caminho. Obrigado por tudo
    DJ ANDRÉ LUIS 100% GOSPEL – ANGRA DOS REIS

  • Mio

    Cara eu cresci em Angra ouvindo histórias desse cara, aliás não tem ninguém do meio que já não tenha ouvido uma história dele.
    O mais engraçado que mesmo depois de ter começado no rádio, eu não o conhecia pessoalmente. Imaginava que pela bagagem e histórico ele fosse “estrela” ou coisa parecida. Nada disso, esse cara tem um coração enorme e cativante. É impossível não gostar de Demmy Morales. Pelo que representa pro rádio e pela pessoa humilde que é!
    Hoje tenho orgulho em dizer: Eu trabalehei com Demmy Morales!

Leave a Comment