O Melhor do Rádio vai Começar!


Por mais que tente não consigo separar o presente do passado. Claro que temos que estudar o passado até para não errar no futuro. O assunto é mais leve que parece. Quero só compartilhar com vocês essa característica de quem gosta muito do meio Rádio. Mesmo tentando olhar pra frente, sempre damos uma espiadela no retrovisor, seja para comparar com o Rádio hoje, seja para entender a história, seja para morrer de saudade daqueles tempos que não voltam mais.

Estamos vivendo em tempos de tormenta em relação ao futuro da comunicação. Acho que estamos no olho do furacão. Este momento é de mudanças e qualquer opinião aqui pode ser tola mesmo que tenhamos motivos para mesmo assim opinar. Explico: Não podemos dizer que um caminho será melhor que outro.

Ainda não sabemos o quanto mais em conta sairá esse ou aquele formato de transmissão. Os momentos do início do Rádio no Brasil com a Rádio Nacional, o pioneirismo do jornalismo radiofônico com O Repórter Esso, os programas de auditório, as transmissões de jornadas esportivas com ídolos do microfone, o rock nacional nos anos 80, a discoteca nos anos 70, as AMs e FMs de nossas vidas e a trilha sonora na rotina de nossa adolescência, a tradução das músicas que tocaram nossos corações, os locutores inesquecíveis, as músicas feitas sob medida pra gente e a saudade quando colocamos nossos ouvidos pra trás.

As opções de futuro são tantas que ainda não sabemos qual será a melhor plataforma de transmissão. Pode ser a internet, via satélite, transmissão digital ou todas juntas num futuro próximo. Mas o que importa mesmo é ver quantas pessoas com fones de ouvido grudados em celulares, tantas outras rádios na internet que já despontam ou tantas comunitárias fazendo belos trabalhos.

As redes sociais ligadas a rapidez da transmissão do Rádio podem fazer verdadeiros milagres como os vistos nas chuvas que devastaram a região serrana do Rio de Janeiro. Em poucos minutos a solidariedade tomou conta
dos microfones, PCs e smartphones. Recordar é bom e necessário. Saber da história é fundamental, mas vamos prestar mais atenção ao futuro. Deixar tudo que passou em prateleiras e fazer um caminho novo para o Rádio mais racional e humano. Podemos e devemos abrir nosso leque de segmentos para opções de entretenimento e informação. Rádio para terceira idade, para crianças, para todos.

Que venha o Rádio digital, que suba o satélite, que a internet seja mais acessível e confiável. Que o bom tempo do Rádio ainda aconteça!

Por Ruy Jobim
fev/2013

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *