O Rádio Por Internet Cada Vez Mais Móvel

Uma das grandes esperanças do rádio é a mobilidade que a web rádio (rádio por internet) poderá oferecer muito em breve. Nos Estados Unidos isto é uma realidade há cinco anos quando já se acessava o rádio por internet através de um simples celular flip que tivesse 3G. Bastava fazer uma gambiarra utilizando (imaginem) o tocador da Cassette do carro, como se pode ver no vídeo abaixo:

Percebendo o potencial que isto representava a Ford não perdeu tempo e foi à primeira montadora a desenvolver uma tecnologia mais avançada sem a necessidade de gambiarras para se poder acessar o rádio por internet do carro, o Ford Sync. Mas, ainda assim, com a necessidade de utilizar o 3G de um smartphone através do bluetooth como se pode ver no vídeo abaixo:

Mas nos 4 anos seguintes, no início de 2012, o salto foi mais impressionante ainda. A tecnologia avançou de tal maneira que a coisa não fica limitada a rádio por internet e ligações telefônicas utilizando entradas USB e bluetooth. Foi a chegada da internet no carro através do “Carro Conectado” que, mais do que integrar o rádio por satélite e o rádio digital (HD), baseava-se no seguinte quadrinômio: comunicação, navegação, entretenimento e telemática! O que é telemática? Veja o vídeo abaixo:

Já na CES – Consumer Eletronics Show deste ano em Las Vegas o futuro subiu mais um degrau oferecendo tudo (mas tudo mesmo) que existe no seu smartphone no paniel do carro. Não importa qual sistema operacional que vc tem no seu smartphone, pode ser iOS, Android, Windows…. qualquer um:

A conclusão que se chega é que o Collor continua tendo razão: nossos carros nacionais continuam sendo umas carroças!

Por Carlos Townsend
Outubro/2012

1 thought on “O Rádio Por Internet Cada Vez Mais Móvel”

  1. Ao que parace, tudo que se refere a dar acesso a informação, no Brasil, as coisas andam em passos de tartaruga. Dá a impressão que o governo protege as indústrias que exploram alguns setores “ameaçados”, num paternalismo que nos coloca bem atrás de outros.

    Na concessão de emissoras rádio então, estamos na idade da pedra, onde o governo ainda usa as outorgas como instrumento de barganha política, num toma lá da cá que privilegia alguns e prejudica a maioria.

    A Internet, por enquanto, é o único caminho que resta para quem acredita que tenha conteúdo para gerir uma emissora de rádio e, talvez por isso, essas novas tendências tecnológicas ainda levem um bom tempo para chegar por aqui.

    Não é facil ser brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *