O Futuro do Rádio


O futuro do rádio é o streaming…. até por razões financeiras alem também, claro, da mobilidade.
Mobilidade no sentido que uma rádio por streaming poderá ser ouvida em qualquer parte do mundo, principalmente em telefones (e em breve até em relógios de pulso) e não apenas em áreas limitadas ao raio de cobertura das FMs. Nem falo das AM’s pelo som precário e pelo atraso e indefinição da implantação do AM estéreo.
Razões financeiras porque a médio/longo prazo nem broadcasters e nem os ouvintes estarão dispostos a investir uma grana em aparelhos de transmissão e recepção que servem apenas para ouvir música. Manter os equipamentos de broadcasting tanto na emissora como no ponto de transmissão (Sumaré no Rio e a Av. Paulista em SP, por exemplo) já é muito caro e em breve vai se tornar insustentável.
Pior, alem da internet, do podcast, dos players (iPods, etc) e outros, o rádio agora está diante de sua maior ameaça, o streaming. Serviços para estrangeiros como o Spotify, Rhapsody, Slacker, Stitcher e Google Music Play caminham a passos largos nos EUA e na Europa, sem falar na Pandora e Last FM, mas estas trabalham com playlists fechados, não sendo possível selecionar as músicas que você deseja ouvir. Por aqui já temos alguns poucos serviços ao alcance dos brasileiros como: Rdio (Oi), Grooveshark, Sonora e outros menos cotados. Estes serviços já estão começando a comer a fatia do bolo que historicamente pertencia às rádios AM e FM. Inclusive conheço algumas pessoas que (felicíssimas) já estão pagando uma quantia mensal para assinar o Rdio da Oi onde poderem ouvir o que quiserem, quando quiserem e onde quiserem!
A indústria fonográfica vê o streaming como tendência e salvação (http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2011/12/industria-fonografica-ve-streaming-como-tendencia-e-salvacao.html). Mas o que ninguém discute é que o streaming (alem fornecimento de música para a indústria), aos poucos, vai ocupando a função do rádio. Várias músicas… em sequencia… e com critério (mesmo que seja genoma)… ORA esta sempre foi a função básica do rádio musical.
Mensalmente estarei aqui falando sobre o futuro do rádio. Façam seus comentários e vamos discutir o assunto… pelo bem do rádio! Um abraço!

Por Carlos Townsend
Julho/2012

COMMENTS

  • francisco assis

    Olá: é com prazer que venho tamben postar meu comentario ,trabalhei em uma radio comunitaria no estado de Minas e quando de mudança para São Paulo logo notei que não havia campo para mim,quem é de radio sabe o quanto é ruim ficar fora sem perpectivas de volta,hoje tenho minha on line ,estou satisfeito de volta a função de Locutor e o que é melhor sou o proprietario da radio,as radios on line já é o futuro dos meios de comunicação,tem empresas que vendem streaming, sérias e qualidade HD…sucesso aos companheiros que estão ingressando no fantastico mundo do radio.

  • sidnei

    O radio na internet é um maneira de mostrar o seu talento para os ouvintes. As rádios am fm não dão espaço para locutores amadores e nem bandas de igreja. O radio na internet já abre espaço pra judar os cantores. Tenho uma radio na internet estou muito feliz com audiência.

  • Eu acredito e muito na Rádio via internet, tenho uma Web Rádio e estou muito feliz com o sucesso da mesma. Confesso que, ainda há uma certa rejeição por parte de empresários, principalmente os mais antigos, quando falamos de RÁDIO WEB.
    Porém, cada dia que se passa, com a força da internet, com a acessibilidade chegando para todos, o conceito em anunciar e Rádio Web vem melhorando.

    • Henrique

      Também tenho certeza disso…eu que curto pop rock agora tenho infintas opções de emissoras, coisa que não tenho no dial da minha cidade, e olha que sou de Belo Horizonte, um grande centro.

  • Eu acho que o futuro em termo de Rádio vai ser a Rádio Online, ninguém vai investir na exigência da Anatel visto que a tecnologia está avançando e todo mundo vai ter acesso a rádio online que será um sucesso.

  • Com toda certeza… chegará um dia q a rádio deixara de existir.

  • Ótimo texto. Gostaria de mencionar que o streaming veio libertar o rádio dos governos e empresários que, em geral, fizeram das emissoras em simples e rendoso negócio. O rádio antigo, que nunca foi do povo, agora perde para a internet de 1000 a zero, graças a Deus. Comunicadores natos, artistas e cantores, agora podem mostrar suas obras sem nenhum constrangimento. Há público para todos os gostos!
    Temos o TuneIn Radio que agrega emissoras do mundo inteiro em qualquer celular, sendo a maior mídia do planeta. Rádio cem por cento democrático! Graças a Deus!

  • Patricia Teixeira de Lima

    Oi Carlos, vejo que vc trabalhou com gravadoras. Tenho curiosidade na história e na influencia das gravadoras americanas na difusão e definição do que vai tocar nas nossas radios. Vc tem alguma coisa sobre isso? // Sobre o seu artigo, achei bem legal! Estou trabalhando no Premio ER (produção) e tive que ouvir rádios AM e FM. As primeiras são traumaticas, com ressalvas, a maioria esta destinada ao pulpito religioso. Dessa forma, não cumprirão o papel social do rádio. Não só pela fala de qualidade do meio, mas tb pelo conteudo desgastado e restritivo da mensagem. No FM, acho que falta formatação propria, com a ressalva das rádios segmentadas (MPB FM, por exemplo). A impressão que tenho é que as radios brasileiras são radios quase americanas faladas em portugues que, às vezes, veiculam musica nacional. Daí minha pergunta sobre as gravadoras. Não sei com as coisas funcionam nesse sentido. Sei que o poder é deles é total. Abraços

  • SEM ESQUECER QUE HOJE EXISTEM OS CANAIS DE AUDIO DAS TVS POR ASSINATURA E O 4SHARED E YOUTUBE , QUE VC PODE PROCURAR A MUSICA QUE QUISER E BAIXAR NO SEU NOTBOOK, CELULARES E DESKTOPS

Leave a Comment