“And the winner is…”


Essa celebre frase, que anuncia que quem está na eminência de ganhar o Oscar®, é conhecida por todos, especialmente por aqueles que estão concorrendo. Mas para chegar neste ponto os candidatos já terão ultrapassado num outra barreira quase tão difícil e importante: a indicação.
Ser indicado ao Oscar® não é uma só honra como vale (e muito) para o currículo de qualquer profissional da indústria do entretenimento. Vira praticamente um título: fulano de tal, indicado para o prêmio tal na categoria de melhor….
Que o diga Carlinhos Brown que no ano passado, junto com Sergio Mendes, foi indicado pelo tema musical do filme “Rio”. Ele disse textualmente: “É uma honra ser indicado a um prêmio de tamanha importância”!
Mas porque só o cinema e a música podem ter este privilégio? Foi por este motivo que a organização do Prêmio Escola de Rádio mudou alguns critérios. A partir da edição deste ano cada categoria terá obrigatoriamente 5 indicações que, por sua vez, serão anunciados a partir de um criterioso e minucioso trabalho de pesquisa por parte de alunos, ex-alunos e membros da comissão julgadora. Anteriormente quem indicava os profissionais eram os próprios veículos a pedido da organização. No entanto, com os anos, este critério se mostrou falho a acima de tudo nem sempre conseguia afunilar para 5 o numero de profissionais, programas e veículos que realmente fossem os melhores de cada categoria. Na edição deste ano foi reunida uma comissão de notáveis com embasamento e conhecimento suficiente para escolher os 5 que mais se destacaram entre os melhores. No entanto, a questão era, como chegaríamos a estes 5 nomes? Seria uma tarefa herculana para os membros de a comissão julgadora conseguir pesquisar, ouvir e selecionar a partir de mais de 50 emissoras a centenas de profissionais que mantem as programações 24 horas por dia.
Já há algumas semanas que vários alunos e ex-alunos da Escola de Rádio estão se debruçando sobre o dial ouvindo tudo, dia e noite! Nenhum profissional, nenhum programa e nenhum veículo será desconsiderado ou deixado de lado. Todos eles passarão por dois crivos, inicilalmente por aqueles que se dedicam a estudar para serem os profissionais de amanhã e depois por uma comissão que tem a experiência, critério e isenção necessários para premiar quem realmente merece.

Por Carlos Townsend
Agosto/2012

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *