A Velocidade do Rádio

A velocidade do Rádio esconde os pequenos erros, que em geral são muito engraçados. É que os colegas, muitas vezes, estão falando de locais inadequado se, como o Rádio permite falar de qualquer lugar, nem sempre
o resultado é o ideal.

A velocidade do Rádio esconde os pequenos erros, que em geral são muito engraçados. É que
os colegas, muitas vezes, estão falando de locais inadequados e, como o Rádio permite falar de qualquer lugar, nem sempre o resultado é o ideal. “Gato escondido tem medo de água fria”, sentenciou um colega.
Outro mudou um pouco: “sabe como é, né: gato escaldado tem medo de água fervendo”… “Não é
só o gato: de água fervendo todo mundo tem medo”, acrescentou outro colega.

E tem o outro, que ao falar que um jogador voltava rico da Europa, garantiu: “ele está com o burro na água”.

As palavras parecidas derrubam muito profissional de Rádio.
Depois de conversar com o Ministro da Saúde, o repórter destacou: “O importante, segundo o ministro, é que todas as crianças sejam vascaínas” Ele queria dizer vacinadas.

O outro fez uma estranha afirmação: “Nem tudo o que cai do céu é peixe” (?)

Teve outro, que ao comentar uma partida de futebol na base brasileira no Pólo Sul, destacou:
“O jogo deve ter sido assistido só pelos pinguins e ursos polares…”
Só não explicou quem levou os ursos para lá.

Por Maurício Menezes
Texto Rádio em Revista 3 (out/2010)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *